Resenha: Jesse Chesnutt - E o mistério do Planeta T12

Autora: Leonardo Faig
Editora: Novo Século
Ano: 2013
Número de páginas: 200
Flores de Lótus:
 - Bom +
Sinopse:
"Milton, Flórida. 20 de abril de 2012. Uma data fatídica na vida de muitas pessoas. Entre elas estão os membros da família Kirk, que subitamente sofrem ataques de pessoas que, infectadas por um misterioso vírus, se tornaram criaturas agressivas. Sedentos por sangue, os infectados invadem casas, destroem lojas e causam o caos na cidade. Jesse é um dos sobreviventes deste aterrador acontecimento e consegue fugir dessas criaturas. No caminho, encontra Kevin e Brian, também determinados a sobreviver, e juntos, munidos de armas e uma Ferrari, os sobreviventes partem em busca de respostas e de uma possível cura. Porém, estes acontecimentos podem ser o estopim de algo muito maior que estava para vir. E o misterioso planeta T12 pode ser a grande chave para desvendar este terrível vírus."


O livro foi me enviado pelo autor para resenha. Quando li a sinopse do livro praticamente enlouqueci com a proposta envolvida na estória. O Livro apesar de ser curto tem uma narrativa bem fluída  Um ponto que gostei do livro é das marcações cronológicas que se estendem ao longo de todos os capítulos. A diagramação do livro é simples, possui uma boa letra e um ótimo espaçamento - amamos muito. Vamos ler mais? ;D


Resenha:
O Livro vai nos apresentar a estória de um menino chamado Jesse Kirk e ele era de uma família renomada, conhecida como família Kirk. Já no início da estória, veremos o alastramento de uma epidemia - causada por um vírus - por todo o país dos Estados Unidos. Esse vírus fazia com que as pessoas adquirissem um cor esverdeada de pele e de olhos, soltando uma gosma verde pela boca, se tornando um espécie de ''zumbi'' - aspas por que no livro os mesmos são mais fortes e com grande força física, chamados de infectados. :D
Um corpo se movia lentamente. O cabelo braco escasso e seboso. Seus dentes podres e amarelos refletiam uma falta de higiene de muitos dias. Sua pele estava esverdeada assim como seus olhos. O verde, porém, fazia contraste com o negro das crostas de sua pele. Um infectado, sedento de sangue. Ele gemia, um gemido assustador até para os mais corajosos.
No tempo em que o vírus se alastra Jesse estava dormindo, quando acorda encontra um armário na porta de seu quarto - sabiamente pensado pelo seu Pai para evitar a entrada dos doentes. Ele tenta tirar o móvel do local, porém consegue só movê-lo um pouco. Na abertura criada ele olha pela brecha e se depara com o corredor bagunçado e uma pessoa...
Havia vários objetos espalhados pelo chão. E uma pessoa. Uma pessoa? O que era aquilo? Diria: Uma coisa. Pele amarelada olhos esverdeados. Jesse não sabia o que era aquilo.
Ele foge pulando da sacada se seu quarto - que fica no 2° andar de sua casa   e corre pela rua ''sem rumo''. Ele acaba adormecendo num depósito local e quando acorda avista um supermercado bem ao lado de onde ele estava, então faz uma ponte com madeiras e chega ao supermercado através do telhado. Chegando no telhado da loja ele logo avista uma Ferrari vermelha  - muito TOP, afinal para se locomover num mundo caótico temos que fazer isso com estilo! haha - e as pessoas que estavam dirigindo o automóvel limpam a área do supermercado, que estava infestada de doentes e logo eles avistam Jesse.

Eles acabam levando o garoto para um esconderijo, e a partir o enredo se desenvolve! Então começa a disputa pela vida de Jesse e dos outros sobreviventes, além de outros objetivos como o de Jesse de encontrar seus pais e os de todos de encontrar a CURA! Ah, tem também a explicação do título do livro: Planeta T12.
***
Achei Jesse chato no incio do livro! Chegava a ser tosco o tanto que essa 'criança' chorava, MAS no final do livro, ele melhora MUITO e acaba tomando atitudes mais cabeças e corajosas.
Jesse estava atropelando todos os infectados, uma multidão gigantesca. Eram tantos que muitas vezes o carro travava com a quantidade de carne que ia se acumulando nas rodas.

Falando dos personagens que se destacaram positivamente, temos Kevin - um do caras que acham Jesse no supermercado - e o próprio pai de Jesse que se mostra bem forte e determinado, afinal, o que eles mais teriam que ter é extinto de sobrevivência.

O livro não é muito descritivo em alguns locais e até mesmo com os personagens, isso não me incomodou muito - imaginação fértil* :D.
Mas, o porém é que as coisas pareceram acontecer rápido demais, como o alastramento da doença que se deu em algumas horas. Acho que o autor poderia explorar mais o universo fantástico criado. Acreditem o final é muuuuu...uuuuito bom! 
A revisão do livro deixou a desejar principalmente no começo do livro, em que em vários parágrafos vemos a repetição exagerada do ponto final, isso realmente me incomodou.

O Autor teve uma grade jogada no início do livro, mostrando como foi que alguns personagem agiram ou o que aconteceu com eles no dia do holocausto.
Isso foi muito bom, os flashes acontecendo e o leitor descobrindo mais sobre os personagens. Falando nesse jogo Flashes, o autor tem uma característica bacana de passado - presente, em que os fatos se ligam perfeitamente não deixando brechas na estória. Adorei isso definitivamente.

O livro é muito bom e eu claro, recomendo demais para vocês. Para quem gosta de Resident Evel / The Walking dead ou esse mundo, vai com certeza curtir essa estória. :D